Um momento de fra(n)queza… (E um oi para os amores da minha vida)

May 13, 2004 § Leave a comment

Pois é…

Após soltar o primeiro discurso pré-fabricado Anarcoplayba Ltda. & Malandricus Inc. eu sou obrigado a fazer uma pequena pausa no projeto, decorrente de algumas críticas recebidas de algumas pessoas que eu respeito muito, no caso, algumas das mulheres mais apaixonantes que eu já conheci.

Bem, antes de mais, nada, eu quero que todos leiam esse discurso e os próximos como uma piada de nazistas.

Exatamente. Uma piada nazista em que Hitler maltrata Judeus.

São piadas engraçadas? Eu acho que sim. (A comunidade Judia que me perdoe). Mas são, muitas vezes, sobre coisas que realmente aconteceram.

Os “Discursos Pré-Fabricados Anarcoplayba Ltda. & Malandricus Inc.” São uma piada? São. Mas são verdade? Algumas vezes.

A questão é simples: Eu acredito que você tem livre arbítrio. E eu acredito que você é o único responsável pela sua felicidade.

E eu SEI que o mundo pode ser grande e mau, e que a vida chupa. Acho que todos nós um dia quebramos a cara com um namoro que deu errado, com alguém que nos usou, ou, o pior: com expectativa de gratidão frustrada. Isso acontece. E a gente tem que se esforçar pra ser feliz.

E nisso eu chego no ponto fulcral:

Eu ODEIO discursos feministas do tipo: “Ah, homem é tudo cachorro.”

Me permitam um momento de revolta incontida: Se homem é tudo cachorro, você é uma cadela sem amor próprio.

Sempre vai existir alguém querendo se “aproveitar” de você. É quase Darwinista. Cabe a você agir de forma a minimizar sua dor e maximizar seu prazer fazendo, dentro do seu Código de Ética (que pode ser particular ou não), o que você acha justo, certo, correto, etc.

Eu NÃO acho errado o Maluf se candidatar a Prefeito, Presidente, whatever. Eu acho errado votarem nele. Assim como eu NÃO acho errado ter cara filho da puta. Eu acho errado o fato que tem menina que GOSTA de ficar com um cara desses.

Isso me irrita, mas eu tenho que aprender a relevar. Toda Masoquista merece seu Sádico.

Por favor, não entendam isso que eu disse como: “Então a culpa é sempre da mulher porque ela confiou?”

Claro que não… Sempre existe o Imponderável de Almeida, o Cromossomo Aleatório, o Erro do Piloto, O Azar…

Mas quando isso acontece, (e eu acredito serem poucas vezes) é um fator aleatório com o qual você tem que lidar. além do mais, se não existisse a álea, a vida seria muito monótona.

Portanto, amores da minha vida (e vocês sabem quem vocês são), leiam os discursos pré-fabricados como uma piada de humor negro:

Eu quero fazer vocês rirem, mas quero que vocês saibam reconhecer os discursos pré-fabricados na hora em que ouvirem um, pra saberem como reagir e responder.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading Um momento de fra(n)queza… (E um oi para os amores da minha vida) at AnarcoBlog.

meta

%d bloggers like this: