“Empreguinho de merda, hein?”

June 7, 2005 § Leave a comment

Depois da história do curto relacionamento de nosso amigo, que vamos chamar hipoteticamente de, Steinhaeger, com uma puta que deu um balão nele, vou falar um pouco de profissões.

***
Me abstenho de qualquer análise moral da Roxanne.

Ela escolheu vender o serviço que ela acha que presta melhor e que rende a melhor remuneração.

Ela faz sexo por dinheiro. Eu fodo pessoas por dinheiro. Mais de uma vez me peguei tendo crises de consciência (que eu acho que ela não teve) e apenas uma vez me neguei a fazer um trabalho sujo (me demiti de um escritório).

Eu não acho que ela seja uma pessoa inerentemente desprezível por causa disso. De certa forma acho que ela simplesmente colocou a carreira na frente da vida pessoal.

***

Nesse Interusp aconteceram uns fatos interessantes, dentre os quais eu destaco uma das duas vezes nas quais eu quase morri.

No meio da balada, comigo devidamente bêbado, Stein vira e me diz: “Aquele cara me deu um tapa na cara pq eu tava catando a namorada dele.”

Não vou entrar no mérito da situação no tocante a:
1) Que tipo de homem dá um tapa na cara de outro pq a namorada tava ficando com esse cara.
2) Que tipo de mina faz isso.

Basta saber que eu fui tirar satisfação com o cara e ele arregou forte (o que foi bom, pq senão a balada ia ficar pequena, MANO!). E que, ele estava com um segurança particular armado (o que me fez pensar em quão perto da morte eu cheguei).

Depois de quase morrer uma segunda vez esse segurança veio falar com a gente e foi muito gente fina: “Olha… eu sou segurança do cara, e eu vim aqui pra pedir desculpas… eu sei o que aconteceu e sei bem o nome disso: é filhinho de papai. Ele está no meio de uma balada, cercado de seguranças da festa, dentre eles um segurança particular, sabia que não ia dar nada, e resolveu crescer pra cima do seu amigo. Quando viu que você foi tirar satisfação com ele frente a frente, arregou com o rabo entre as pernas. Eu te dou toda a razão, e vim aqui pedir desculpas, especialmente porque daqui a meia hora eu vou deixar ele na casa dele e não quero confusão, então, por favor, a gente tá indo embora, e não quer confusão.”

Eu não pude deixar de me sensibilizar com o cara, e expus o que eu pensava: “Olha, cara… em respeito a vc eu vou desencanar… especialmente porque, me perdoa, mas que empreguinho de merda, hein? Você vem aqui bancar a babá de bêbado que sai por aí arranjando briga…”

***

O que um amigo meu comentou uma semana depois foi: “Pois é: ele ganha pra tomar conta de um bêbado que fica arranjando briga com um monte de gente. Parece muito com o que você faz de graça nas baladas, né?”

Point taken.

***

Hoje no meu trampo (sou advogado) recebi uma resposta a uma Notificação que eu fiz. Nessa notificação, um HOMEM que possui o email CAROLINA_STAR@*****.com.br respondeu com inúmeros erros de português, informando que ele (?!) não é nada e nem ninguém, e que toma como exemplo de vida a Rita Cadilac.

***

Quanto será que ganha um segurança particular?

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading “Empreguinho de merda, hein?” at AnarcoBlog.

meta

%d bloggers like this: