Dois Séculos de Darwin.

February 20, 2009 § 2 Comments

Como alguns aqui devem saber, esse ano comemoramos dois séculos do nascimento de Darwin, o responsável pela Teoria da Evolução.

O Alex acha um absurdo o Darwinismo ainda ser chamado de Teoria, porém, eu considero algo extremamente válido.

Vale lembrar que o Darwinismo é uma Teoria, no caso,a Teoria que melhor se aplica a nosso atual nível de consciência. Não é um fato, não é uma certeza. Vale lembrar que Darwin, originalmente afirmou que a Natureza seleciona os mais aptos, mas não soube explicar porque uns são mais aptos que os outros.

Essa lacuna veio ser preenchida depois com a descoberta da genética. Temos hoje um modelo mais ou menos coerente, ou pelo menos mais coerente que o criacionismo.

No entanto, o bisneto de Darwin (ou outro descendente direto whatsoever) afirmou que ainda existem lacunas, como por exemplo, uma corrente que afirma que, de alguma forma, os caracteres adquiridos são sim transmitidos geneticamente.

E ainda, por liberdade poética, cito um trecho de um livro que eu li e achei maravilhoso (portanto tomo como verdade), no qual um demônio pergunta pra um padre como o homem foi criado, e ele respondeu que deus fez o homem a partir do barro e que a teoria da evolução era uma heresia.

O demônio respondeu: “Você está certo, o homem foi criado do barro. Mas também descende do macaco. E Deus o fez na forma de uma sinfonia. Que também é uma função matemática. E um comprimento de onda. Só porque você só consegue enxergar um lado, não significa que os outros não existam, e que não são apenas a mesma faceta de um imenso diamante.”

Seriedade à parte, eu gostaria de apresentar minha contribuição para elucidar o sistema da evolução.

As pessoas falam que a natureza seleciona os mais aptos. Isso é errado. Na verdade, a natureza seleciona os mais fofos.

E essa conclusão surgiu da observação da evolução das espécies. Vejam os exemplos:

Tigre-Dentes-de-Sabre > Tigre.
Megalodonte (Tubarão Pré-histórico) > Tubarão Branco.
Pterodáctilo > Galinha.
Ictiossauro > Golfinho.
Mamute > Elefante.

Podemos perceber que, mesmo em se tratando de animais não fofos (tubarão branco, por exemplo) comparativamente com os ancestrais, ele é mais fofo.

E isso se dá em sentido geral. Pensem nas florestas do Pleistoceno, com suas libélulas do tamanho de bolas de basquete que se alimentam de carne, e as libélulas de hoje. Fofura rules.

E que conste que isso foi uma característica observada inclusive em um cativeiro de raposas na Rússia. Os criadores queriam raposas com uma pele bonita e que fossem mansas (para não serem mordidos) e o que aconteceu? Essas raposas mansas começaram a nascer malhadas, de orelhas caídas e fofas. Como pele de raposa malhada não vale pra fazer casaco, elas sobreviveram.

Ponto pra fofura.

Vocês acham que se alguém visse os coelhos, branquinhos e fofinhos, teria coragem de comer suas carnes?

Ou que alguém teria coragem de comer yakissoba da paulista se olhasse pros gatinhos que eles usam pra fazer a carne?

E isso serviria pra explicar, por exemplo, porque é tão comum a situação mulher gostosa e independente sendo trocada por menininha, ou o cafa pegador sendo trocado pelo menininho carente: A seleção natural escolhe o mais fofo.

Survival of the cuttest.

E sugiro que vocês parem pra ver quantas pessoas vocês conhecem que deram um fora em uma pessoa melhor em prol de uma pessoa mais fofa?

Não aceitem a ditadura da seleção natural! Abaixo a fofura! Viva a meritocracia!

Porque um dia a civilização humana pode acabar. E aí a sobrevivência da espécie vai estar nas mãos de quem come coelhinhos.

Advertisements

§ 2 Responses to Dois Séculos de Darwin.

  • alexthomaz says:

    O meu ponto foi o absurdo de se ensinar na escola, como uma coisa certa, o criacionismo. E sim, eu ainda acho um absurdo a teoria da evolução ser chamada de teoria. A história me dará razão (momento para risada maléfica)
    Quanto à sobrevivência do mais fofo, eu ouso discordar, e o motivo é simples: não se seleciona o mais fofo, se seleciona o mais adaptadO ou adaptávEL. Pessoas (ou animais) menos fofas, estão menos sujeitas a se adaptar, uma vez que (caso do tigre dentes de sabre) “eu sou foda! quem é que pode comigo? Pega eu!” E pegam, e bam! Extinção.
    Eu recomendo que você assista uma cena de snatch (a tradução brasileira ridícula de “porcos e diamantes”), onde um coelho escapa de vários cães. Porque é mais forte, rápido, ágil (ou fofo) que o cão? Nah, porque é mais adaptado.
    Adapt and evolve, ma friend. That’s the spirit.

    Em tempo: http://www.youtube.com/watch?v=D-0_sL5AAVQ
    And god made Google, and he saw it was good…

    Like

  • muito bom o texto.

    Gostei da historia do padre e do demônio, eu realmente penso assim..diferente do Alex, acredito q um dia será provado q o criacionismo e a teoria da evolução não andavam em mãos contrárias como varios extremistas (tanto de uma lado como de outro) pensam e afirmam como sendo verdade, e sim são paralelas. o Preconceito, orgulho e demais defeitos que o ser humano tem que os cegam cairão.

    Bom..é no q eu acredito.

    Abraços e bom blog.

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading Dois Séculos de Darwin. at AnarcoBlog.

meta

%d bloggers like this: