Google.

October 28, 2009 § 1 Comment

Ok, como todos podem perceber, esse post começou com um vídeo.

Sabem o que isso significa?

Que eu não tenho assunto, mas que não quero deixar esse blog parado.

Na lista de assuntos eu queria falar sobre Crepúsculo (o que é até que interessante, mas cansativo) e sobre o Tao (que é extremamente críptico e misticalóide pra interessar a alguém aqui).

Assim, resolvi pegar esse vídeo, que eu tinha visto alguns meses atrás e usar ele de mote pra glosar um pouco.

(Glosar, you perv!)

Bom, o grande ponto do videozinho é o fato de que o google tem acesso a quase tudo o que você procura na internet. Suas buscas, seu orkut, seu email, boa parte dos seus blogs, documentos, leituras, etc, etc.

Bom, eu não sou um grande analista de TI (na verdade, conquanto eu seja grande, eu não entendo porcaria nenhuma de TI), mas a primeira coisa que eu penso é: será que só a Google tem esse tipo de informação?

Okey, nós sabemos que a Google tem essa informação porque eles usam. Afinal, você não recebe aqueles anúncios de aumentador peniano à toa.

Vocês não recebem?

Só eu?

Merda…

Anyway, ainda que as pessoas tenham medo de a Google dominar o mundo, o fato é que dificilmente podemos ter certeza de que nossas informações estão seguras. Notadamente se levarmos em conta a quantidade de depoimentos “não aceita esse depô” que são aceitos no “Tolices do Orkut”.

Pois bem… a grande pergunta que eu faço é: É tão ruim assim não ter segredos?

Sim, eu sei, o direito à intimidade é garantido constitucionalmente, (insira aqui argumento óbvio e pretensamente intelectual), e considerado uma das coisas mais importantes na vida… mas… num exercício de retórica… pensemos: Como seria a vida sem a possibilidade de escondermos as coisas que fazemos e pensamos?

Ou melhor: Por que mentimos?

Não, não se trata da puta velha pregando a castidade. Eu sou um ardoroso defensor da mentira. Na verdade, eu sou um ardoroso defensor da mentira, da colaboração e do conflito, que são as três possibilidades de interação social.

Afinal, o Jogo está aí… as leis e regras são claras. Você pode mentir. Mas também pode ser descoberto.

E a questão é: se fosse descoberto, o que você faria?

Negaria até a morte, como um Senador? Pediria desculpas chorando como um cônjuge infiel?

Não consigo me lembrar de uma grande mentira na qual eu tenha sido pego. Deve existir. Se não uma grande, pelo menos uma mentirinha assim… Branquinha… por uma boa causa.

Gosto de pensar que se pego numa mentira, eu preferiria uma atitude mais estóica: “Pois é, menti sim, foi intencional, e achei que era o melhor a fazer na hora. Fui pego, o que é ruim, mas eu mentiria de novo. E tudo teria dado certo, se não fossem esses garotos e esse cachorro intrometido chamado Scooby Doo!”

Corrigindo: lembrei de uma mentira sim na qual eu fui pego e saí com essa: Uma Ex se enfiou no meu MSN e viu que eu ainda conversava com outra Ex. Me perguntou por que eu não contei pra ela que eu ainda conversava com a outra e eu saí mais ou menos com essa.

Acho que novamente entramos naquela questão da Fidelidade (ou Coerência): apenas sendo coerente estamos seguros.

E se fosse impossível mentir, acho que só os que tem coragem pra ser coerentes se sentiriam seguros.

Advertisements

§ One Response to Google.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading Google. at AnarcoBlog.

meta

%d bloggers like this: