Eu te Amo.

November 10, 2009 § 10 Comments

Sim, eu sei que é tosco e bizarro escrever um post de declaração de amor.

Sei que isso é coisa de adolescente miguxo, que quer falar pra todo mundo que “ama”, que muda status do orkut pra “casado”, e que acha bonito falar as coisas sem pesar e medir as palavras.

No entanto, eu gostaria que você soubesse: esse post é planejado e intencional. Não estou bêbado nem desequilibrado. Em verdade, estou calmo como um monge.

E esse post é fruto de uma longa reflexão, que levou horas… dias… para ser resolvida. E me fez decidir por isso, mesmo sabendo o quanto eu posso irritar outras pessoas. É uma prova de fé, e fé, como sabemos, não tem que ser racional.

Admito que nos últimos meses, flertei com outras. Me entreguei em outros braços. Provei outros sabores. Inspirei outros perfumes.

No entanto, passada a euforia inicial. Passada a surpresa, eu digo: Você não tem igual, e voltar para seus braços é sempre uma experiência única.

São Paulo, eu te amo.

Você é meu amor mais duradouro. Aquela paixão que não esmorece, aquele interesse que não diminui. Aquela admiração que não se abala.

Há quase dez anos moro nessa cidade. E quero você pra sempre.

Eu sei que muitos discordam. Sei que inúmeras pessoas te criticam.

Mas não é para menos: você é uma amante assustadora. É que, quando olhamos para você, pensamos: quantos amantes você já teve? Não temos certeza de que conseguiremos te agradar…

Sim, minha amada… uma mulher experiente assusta.

No entanto, essa é a sua beleza: você não exige nada. De ninguém. Todos são aceitos dentro de você. De norte a sul… do centro-oeste ao nordeste. Baianos, gaúchos, cariocas, sulistas, estrangeiros… Você está aberta a todos.

Nem todos se acostumam, claro. Mas não é sua culpa nosso complexo de inferioridade, é? Ou que você, conquanto não peça demonstrações, exige que sejamos fortes.

Você não pede, mas exige que sejamos capazes de.

Você está sempre de braços abertos a novos amantes, sem preconceito de para quem eles se entregaram antes.

E aposto que, nesse momento, vocês que leem essa declaração de amor estão apontando seus dedos acusadores e falando: “Ah tá! Claro que São Paulo é receptiva, né? E os Skinheads? E os separatistas? E os preconceituosos? E a rixa São Paulo e Rio?”

Ah, meus amigos… Por favor… Não culpem a mulher pelo ciúme do amante…

É isso que somos: ciumentos! Queremos ela só pra nós! E somos tão medíocres, tão pequenos, que pedimos que ela se enfeie! Não queremos ela linda, bela e perfeita para todos!

Suas qualidades? Escondemos! Ou vocês acham que suas ruas e caminhos são simples? Que todos conhecem suas curvas e cantos?

Quantas placas de turismo você encontra nessa cidade? Pouquíssimas! Temos igrejas e lindas catedrais, escondidas! Parques e gramados, isolados! Museus discretos, ruas ermas, e uma vida noturna complexa…

A única coisa que todos sabem, sem questionar, é que temos alguns dos melhores restaurantes do mundo! Algumas das melhores culinárias aqui! Sim, eu sei: podemos não ter o melhor restaurante japonês, o melhor italiano e o melhor francês… Mas temos alguns dos melhores japoneses, franceses e italianos!

Não somos os melhores em tudo… mas somos os segundos (ou terceiros – vocês entenderam) melhores em tudo.

E olhem a ironia: a única certeza que essa cidade oferece (de boa comida) não é oferta dela: é nossa oferenda à nossa amada! É algo que trazemos de onde viemos para cá.

É o que nós podemos fazer por ela, não o que ela pode fazer por nós.

São Paulo não dá, recebe. É incompreensível. Confunde. Ora é quente, depois é fria… Ora é seca e, logo em seguida, nos inunda.

São Paulo é mulher. E tanto é namorada, que tem até apelidinho bobo: “Sampa” .

E, enquanto falamos de seu sexo, falemos também de suas mulheres.

Suas meninas são inigualáveis.

O Sul, tem mulheres lindas. Inigualáveis em termos de beleza física. Lembrem-se das Bündchens da vida…Mas chegam a ser chatas de tão baunilhas.

São mulheres para serem vistas. Não têm sabor.

As nortistas… Ah… Essas sabem o que fazem. E gostam do que fazem. E fazem muito bem o que fazem.

Mas se me permitem… Não que elas sejam feias: não são. Ao contrário: algumas são lindas. Muitas são lindas. E um corpo apaixonante… Mas se não fosse pela natureza…

Elas são gostosas: por sorte.

Mas minhas Paulistas… minhas Paulistaninhas… Vocês se construíram. Roupas, adereços, postura, gestos, toques, cheiros. Vocês se arrumam sem parecerem arrumadas. Vocês se destacam na sua discrição.

E seus cabelos… ahhh tantos cabelos, tantos cortes, tantas matizes…

Desde a Loira Orgulhosa até a Morena Discreta, passando pela Ruivinha Fantasiosa e a Oriental Intrigante.

Sim, eu sei: Temos muito mais homens que mulheres nesse Estado e nessa Cidade, afinal, Sampa é exigente, como toda mulher: temos muitas vezes que largar amigos, casa, namoros, e família para ficar com ela.

E isso é comportamento masculino, não feminino.

Mas esse baixo percentual feminino não é problema! Não precisamos ter mais mulheres que homens: temos mulheres infinitas!

(E homens também, minhas caras… Homens também, para satisfazer suas vontades.)

Nessa cidade existe gente o suficiente pra você ter a certeza de que vai viver uma vida inteira e não conhecerá todos os que poderia conhecer!

Sim, sim, sim… eu sei… em outros lugares do país é mais fácil… Mas é fácil porque estamos acostumados com essa vida exigente! If I can do it here, I can do it anywhere, it’s up to you São Paulo…

Ah, minha menininha… Depois de anos, eu só queria deixar claro: Ainda que eu eventualmente me perca (com certo prazer) em outras paragens… que eu beba outros vinhos e sinta outros perfumes… A sensação de me aproximar de você depois de alguns dias afastado é sempre como a do primeiro encontro.

Advertisements

§ 10 Responses to Eu te Amo.

  • Lola says:

    Pra não dizer que eu não comentei… Registro aqui sobre o que já conversamos. Você realmente não deixou nada mais a ser dito. E me fez pensar mais no sentido desse meu exílio, de terminar com o primeiro namorado pra conhecer outros amantes. Lembrando das palavras de Caetano, empresto então as do Chico para pedir um favor aos que aí estão: “pede perdão pela duração dessa temporada, mas não diga nada que me viu chorando”

    Like

  • Nicky-san says:

    Eu moro aqui desde que nasci – 22 anos – mas só agora estou vendo o quanto ela é encantadora, sedutora e mágica.

    Desconsidere o meu sono e fique com isso:
    Seu texto me fez entender e amar a nossa São Paulo um pouquinho mais.

    Thank you!

    =)

    Like

  • […] estou falando de sair de Sampa, minha namoradinha, estou falando de pensar o mundo de outra forma, de ter um approach diferente. De dar um passo […]

    Like

  • Gueixa says:

    Nossa… To me sentindo meio lésbica. Também sou apaixonada por sua namoradinha. E concordo com voce é uma amante exigente essa moça!Mas como acontece com toda amante exigente, vale a pena nos perdermos em seus braços…
    Soa nascida aqui. Na Rua Frei Caneca, perto de onde moro hoje.E mesmo assim ainda sou uma deslumbrada por esta cidade.
    Acrescentaria que ela recebe a todos de forma um tanto hostil. É defesa gente! Essa moça teme maiores envolvimentos…Uma tola. Como todos nós.
    Amei o post!
    Comecei lendo o de “Ano Novo”, vim pra cá e nem voltei pra lá ainda rsrsrsrs
    Obrigada viu. Agradeço tudo o que voce, brilhantemente, disse sobre São Paulo. E, se permite, subscrevo pois não conseguiria nada parecido ou que chegasse perto de tudo o que voce disse.
    Bom Ano pra nós todos
    Beijos da Gueixa

    Like

  • […] Quando eu falei de São Paulo e me referi com carinho especial às nossas mulheres, pois a cara de São Paulo são as mudernas paulistanas (sem demérito para todas as outras mulheres). […]

    Like

  • Ruiva says:

    Costumo dizer que sou `Catarinense de nascimento, mas Paulistana por paixão.`
    Estou longe dela há um tempo e sinto tanta falta…
    ABSOLUTAMENTE MARAVILHOSO TEU TEXTO.
    Postarei em breve tua declaração de amor.
    (I`ll let you know.)
    ;0)

    Like

  • Gabii Fonseca says:

    Belo texto.
    Realmente belo.

    Like

  • Dani Luz says:

    Divino…

    Like

  • Perfeito Paulo, Sampa é tudo isso aí mesmo, também amo essa cidade!

    Parabéns pelo texto, muito bom mesmo!

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading Eu te Amo. at AnarcoBlog.

meta

%d bloggers like this: