Pré-Mental.

April 20, 2010 § 24 Comments

Ok. O foda de escrever um texto bom é que blahblahblahblahblah.

Parte da falta de posts vem da felicidade de ter escrito um texto bom. Parte da correria já aceita como normal. Parte do fato que eu tenho dois temas prontos para serem desenvolvidos, mas que ambos precisavam amadurecer. E amadureceram.

Eu ia começar pelo outro texto, mas atendendo a pedidos e a por mim consideradas necessidades, decidi começar por aqui.

Escrevi alguns bons quatro anos atrás um texto no qual eu toquei superficialmente no mito de Adão e Eva.

Recapitulando: Adão e Eva viviam felizes no paraíso, até que comeram do fruto da árvore da ciência do bem e do mal, momento a partir do qual passaram a julgar o mundo. O Deus Judeu viu aquilo e disse: “E o Senhor Deus disse: “Eis que o homem se tornou como um de nós, conhecedor do bem e do mal. Agora, pois, cuidemos que ele não estenda a sua mão e tome também do fruto da árvore da vida, e o coma, e viva eternamente”.

Pra quem quer pensar sobre o assunto, o que os expulsou do Paraíso? A desobediência ou passar a julgar as coisas? Mais um tópico: a quem Deus se referiu quando disse “nós”?

Mas esse texto não é sobre a bíblia. Sobre a bíblia é o próximo texto.

O que me fez escrever essa curta introdução sem muita relação com o resto do texto, na verdade, foi outra coisa: julgamentos e divisões.

Pra ser mais exato, a divisão entre razão e emoção.

Às vezes tenho a impressão de que estamos (a quem eu estou referindo com esse “nós”?) caminhando numa estrada entre dois rios (pra usar a metáfora de Lobo Solitário) ou ainda, pra simplificar, entre a espada e a caldeirinha, servindo de terreno para o duelo entre a razão e a emoção.

De um lado, temos um exército de céticos que tem como o grande prazer na vida demonstrar a ausência de deus. Os caras pegam a bíblia, falam que ela está errada, portanto, isso prova que deus não existe.

A respeito disso, gostaria de citar uma frase de Sagan que eu vou repetir pro resto da vida: A ausência de evidências não evidência a ausência.”

Do outro lado, temos os religiosos que insistem em mexer com o pior do ser humano pra tentar catequisar  (sim, porque eles não podem ser considerados evangelizadores NEM FODENDO, muito menos fodendo criancinhas).

A esse respeito, eu gostaria de dizer: Eu nunca vou adorar um Deus que precisa de ameaças pra me convencer a adorá-lo. Opa, pra falar a verdade, eu nunca vou adorar um deus que precisa de adoração. Muita insegurança pra um Deus, não acha não?

Ou seja, na falta de uma resposta a respeito das grandes questões existenciais, o que fazemos? Dividimos nossa mente em razão e emoção e relegamos uma enquanto usamos apenas a outra para tentar encontrar as respostas.

A esse respeito eu gostaria de lembrar que um reino dividido não governa.

Nesse ponto, vem a dialética: É preciso crer para ver ou é preciso ver para crer?

De um lado, os fanáticos religiosos falam que é necessário crer para ver. E a esse respeito eu te falo: se você acreditar mesmo, você VAI ver. Vai ver coisas, ouvir vozes, sentir coisas. E o nome técnico disso é alucinação. Você está por meio do desejo irrestrito de ver algo (tã-dã!) vendo algo.

Por outro lado, os céticos querem ver pra crer. O problema é que o saber científico também é uma crença. A grande maioria dos céticos têm uma teoria pré-estruturada que querem ver comprovada, qualquer que seja ela.

Existem sim, pessoas sérias nos dois campos, buscando a Verdade com a melhor das intenções, mas essas acabam caminhando em silêncio.

Ou seja, por um lado, a razão é falha, pois funciona sobre uma lógica particular que demanda pressupostos; do outro, a emoção é falha, pois movida pelo desejo.

Como agir então?

A saída é pensar sem razão e sentir sem emoção.

Nossos processos cognitivos (de conhecimento) ocorrem em diversos planos. O físico é o mais direto e grosseiro. Temos olhos e enxergamos. Temos um cérebro capaz de guardar e processar informações. Até mesmo hormônios que nos dão sensações afetivas e de bem estar nós temos.

Pensem que animais possuem um cérebro como a gente, e tem reações como a gente: macacos usam ferramentas, cachorros ficam felizes.

Isso é um ótimo começo, e são ferramentas que devem ser usadas, posto que úteis.

Um degrauzinho acima, temos a razão e a emoção. Aí as coisas começam a ficar mais abstratas. A Razão não se confunde com os processos físicos: Não precisamos vivenciar algo para analisá-lo. Na verdade, podemos analisar problemas completamente abstratos. A emoção, idem. Afinal, não é o poeta um fingidor?

Novamente, ambas as ferramentas são igualmente úteis!

Agora, um degrau acima a coisa muda de figura… fica total e completamente abstrato de forma que eu não tenho como explicar com palavras. E a experiência transcendente blahblahlahblahbla.

Mas o objetivo desse texto é tentar expor uma verdade que cada um de vocês já sabe.

Existe um outro nível de processo cognitivo, que é uno, equidistante e está acima do binômio razão-emoção.

Cada lugar tem um nome pra isso. Uns falam em Intuição. Outros em Percepção Extra-Sensorial. Outros em Sentir.

Eu chamei, quando em um meio no qual não temos um léxico próprio, de Pré-Mental: É a forma de pensar que vem antes do pensamento. É a forma de sentir que vem antes da sensação ou do sentimento.

Esse é o verdadeiro rio entre dois rios.

Não é crer para ver, nem ver para crer. É se deixar crer e se deixar ver. Ao mesmo tempo.

Advertisements

§ 24 Responses to Pré-Mental.

  • Nicky says:

    Just luvd it!

    Like

  • Karla says:

    Lembrei do filme “O livro de Eli”..

    Estou refletindo.

    Bjos!

    Like

  • Nina says:

    Todos os níveis de processamento são físicos.

    Ou?

    Like

  • Fy says:

    Yeah ,

    Words Shining in the Jungle Night!

    Okkkkkkkk Lawyer, – > you surprise me. Again.

    Muito bom.
    My time : – Follow me here:

    http://windmillsbyfy.wordpress.com/2009/11/28/just-living/?preview=true&preview_id=239&preview_nonce=43ceee6c9b

    and remember: Dance and Life are the same > in the aquarian metaphors of my heart , and metaphors build bridges between the hemispheres of our minds.

    Bjs
    Fy

    Like

  • A saída é pensar sem razão e sentir sem emoção.

    Gosto desses tipos de posts.
    O que me fez apaixonar pelo seu blog foi o que escrevera sobre as canções de ninar.

    Like

    • Anarcoplayba says:

      Ahhhhh… Canções de Ninar… um dos meus melhores posts…

      Infelizmente esses posts são mais raros… e dependem MUITO MAIS de inspiração que de técnica…

      Like

  • Fy says:

    Ahhhhh… Canções de Ninar… um dos meus melhores posts…

    onde tá?

    Bjs

    Fy

    Like

  • Thaís Vidal says:

    Interessantíssimo…

    Vamos lá, vou tentar por meus pensamentos em ordem…com razão ou emoção?

    Poetisando a coisa toda, afinal essa é a única forma que encontro para expressar algo…

    “O poeta é um fingidor.
    Finge tão completamente
    Que chega a fingir que é dor
    A dor que deveras sente.” (Fernando Pessoa)

    O que vem antes da razão e o que vem antes da emoção? Sempre que estamos um passo antes de qualquer coisa, ou fato, ou objeto…estamos olhando através do olho do observador. É outro ângulo de visão. Podemos olhar a nós mesmos assim, de algum ponto qualquer, seja nesse espaço-tempo ou não.
    Eu também acho que razão e emoção são extremidades de uma mesma linha…opostos mas no mesmo caminho… (ou não?)
    E ambos acabam “falhando” sim em um ponto qualquer…
    Mas essa falha da razão e emoção diante da lógica particular e do desejo…me faz cair em um ponto. Cada um tem a sua visão e percepção de mundo…visão e percepção moldadas com sua razão e com sua emoção. Cada um tem o que considera ser a sua verdade, e muitos defendem a sua visão como absoluta (loucura?). Então temos um mar de razões e emoções que se chocam e se anulam, minuto após minuto.
    Mas por Deus, ou não…se olharmos de outro ponto de vista somos formiguinhas, se trombando, trocando informações e seguindo em frente sempre…afinal temos um objetivo definido todos os dias (chegar em casa, alimentar-se, dormir, acordar…)

    O que você chama de Pré-Mental é aquele ponto aonde ainda não É…o pensamento não se formou (estaria no mundo das idéias…ou da forma de onde nascem as idéias que fazemos de tudo que vemos?) é a emoção que ainda não É, não se expressou. (É isso mesmo?)

    É o vazio que nunca foi vazio.

    Se olharmos para uma tela preta…escuridão plena, silêncio pleno podemos ter um leve vislumbre do que isso pode ser. Afinal difícil colocar em palavras o que é o Pré-Mental sem julgar ou tentar entender…com nossa razão e emoção.

    “É se deixar crer e se deixar ver. Ao mesmo tempo.”

    (Ah, Canção de Ninar é simplesmente um dos textos mais lindos que já li…me deu nó na garganta…sabe aquele que chega a doer?)

    Beijos

    Like

    • Anarcoplayba says:

      “O que vem antes da razão e o que vem antes da emoção? Sempre que estamos um passo antes de qualquer coisa, ou fato, ou objeto…estamos olhando através do olho do observador. É outro ângulo de visão. Podemos olhar a nós mesmos assim, de algum ponto qualquer, seja nesse espaço-tempo ou não.”

      > Not the point. Não estou falando de uma dimensão física, nem mesmo de uma dimensão temporal. O que vem antes não necessariamente está um passo atrás ou um passo à frente, nem necessariamente uma hora ou um século antes (afinal, o tempo é mais uma dimensão).

      Na falta de uma metáfora que seja mais objetiva, estou falando de níveis de consciência: Você sai do mais simples e abstrato pro mais complexo e concreto.

      Quando eu disse que o cérebro é um meio de processo cognitivo, estava me referindo ao mais grosseiro. Aos seus hormônios e sinapses. Antes disso, existe a mente, feita de razão e emoção e que precede o cérebro. Antes da Mente existe o Pré-Mental (ou Sentir, ou Intuição, ou Alma, chame do que quiser).

      Eu venho chegando à conclusão de que razão e emoção é a mente dividida.

      “Eu também acho que razão e emoção são extremidades de uma mesma linha…opostos mas no mesmo caminho… (ou não?)”

      >Eu não diria no mesmo caminho… diria no mesmo plano, mas a idéia é essa sim.

      “Mas essa falha da razão e emoção diante da lógica particular e do desejo…me faz cair em um ponto. Cada um tem a sua visão e percepção de mundo…visão e percepção moldadas com sua razão e com sua emoção. Cada um tem o que considera ser a sua verdade, e muitos defendem a sua visão como absoluta (loucura?). Então temos um mar de razões e emoções que se chocam e se anulam, minuto após minuto.”

      > Em primeiro lugar: vc tem REALMENTE certeza de que a SUA razão e emoção é que molda a sua percepção do mundo? Vale uma re-assistida em Matrix ou mesmo “What the Bleep we Are”. Nossas percepções são MUITO influenciadas pelos outros, quer seja por esse ente Coletivo e Abstrato “Os Outros”, quer seja por pessoas individualmente consideradas.

      Essas razões e emoções não necessariamente se anulam. Todo mar tem marés, e marés movem o mar, não?

      “Mas por Deus, ou não…se olharmos de outro ponto de vista somos formiguinhas, se trombando, trocando informações e seguindo em frente sempre…afinal temos um objetivo definido todos os dias (chegar em casa, alimentar-se, dormir, acordar…)”

      > Agora que vc tocou em animais sociais, quem comanda a colméia? What is the matrix? Esse não é o tema do texto, mas é uma pergunta relevante.

      Trocamos informações? Sim, o tempo todo. Todos temos uma função na face da terra e, especialmente por isso, é importante estarmos inseridos na sociedade: para trocar informações como as formigas, para dançar, ou para lutar.

      Porque o que não destrói, deixa mais forte, e o que foi destruído será substituído por algo novo. Assim funciona a evolução.

      Quando um debate ocorre, as opiniões saem ou mais fracas, ou mais fortes, e esse intercâmbio fortalece as idéias (por meio da retirada das contradições dos discursos).

      “O que você chama de Pré-Mental é aquele ponto aonde ainda não É…o pensamento não se formou (estaria no mundo das idéias…ou da forma de onde nascem as idéias que fazemos de tudo que vemos?) é a emoção que ainda não É, não se expressou. (É isso mesmo?)”

      >Mais ou menos. Elas não se manifestaram mentalmente, mas já estão lá. Assim como a mente não se manifesta fisicamente, precisando do cérebro e do corpo.

      O Pré-Mental É sim, e existe sim, mas em uma dimensão muito mais sutil (ou inconsciente se formos pensar em termos psicológicos). Não é pq n temos consciência dele que ele não existe.

      Ou seja: o Pré-Mental não é esse Vazio. É um cheio que não conhecemos (e nisso vale o Koan: Se uma árvore cai e não ninguém ouve, ela fez barulho?)

      Vale fazer a ponte entre as conversas que venho tendo com a Fy (muito mais crítica quanto às religiões orientais que eu) com as conversas que venho tendo com vc: Aniquilar o Ego é impulso de morte.

      Like

      • Nina says:

        Alguns pontos aleatórios

        a) não vejo a emoção como oposta à razão.. são processos diferentes das informações.. uma emoção é uma reação psicofisiológica a determinados eventos.. e o significado que nossa mente dá aos eventos é algo mediado, de certa forma, por estruturas cerebrais de certo modo inconscientes… de outra maneira, reagimos emocionalmente à semântica que nosso cérebro produz sobre determinada situação..
        quando ainda não temos a linguagem, reagimos ou de acordo com instinto ou de acordo com o que vamos aprendendo do ambiente (condicionamento)
        b) ainda tenho sérias dificuldades em compreender e consequentemente, aceitar, a idéia de uma mente imaterial. A própria definição de algo imaterial é difícil – se não impossível – de dar. Vc só define por exclusão: imaterial é aquilo que não tem matéria, não ocupa lugar no espaço, etc etc.. como isso pode existir?
        c)esse impulso da morte merece discussão aprofundada… aniquilar o ego e exterminar um mundo, talvez para nascer em outro.. whatever
        d) alguém quer café?

        Like

      • Nicky says:

        Café eu quero!

        Like

      • Anarcoplayba says:

        a) Não são opostas, fato. Mas são dois elementos. Novamente, dando o exemplo físico para explicar o não-físico: o hemisfério esquerdo não é oposto ao direito. Eles são apenas duas partes de um todo cérebro.

        Vc tocou ainda em um aspecto importante: o cérebro responde à palavra. Fato. Embora a inexistência de palavras não implique na inexistência de pensamentos. Essa coisa de “pensamos por meio de palavras” caiu por terra faz tempo.

        A única coisa no item “a” que eu discordo diz respeito ao item “B”:

        b) Imaterial é o que não tem matéria. Fato. A luz é imaterial. However, existe. Você pode me falar que luz é matéria acelerada ao quadrado da velocidade da luz (E=mc²). Eu posso te falar que matéria é luz (energia) condensada.

        Eu poderia ir colocando elementos e pedaços de resposta para você, mas seria imprudente: cego não guia cego, sob o risco de ambos caírem no abismo, e eu ainda estou tirando a trave dos meus olhos e não tenho autoridade nem capacidade para apontar a venda nos seus.

        Mas te falo: Para o ponto, o conceito de reta inexiste. Para a reta, o conceito de plano, inexiste. Para o plano, o conceito de volume inexiste.

        O ponto não vê a reta. Nem consegue cogitar a existência da extensão. A reta vê o ponto, mas não cogita a existência do plano. O plano vê a reta mas não cogita a existência do volume. O volume vê o plano, mas não vê nada adiante.

        Nesse ponto, o imaterial, de fato é um conceito estranho, posto que matéria é tudo aquilo que tem massa e ocupa lugar no espaço. E o espaço que conhecemos instintivamente é tridimensional (excluído o tempo).

        Mas a radiação existe, e existia antes de termos condições de detectá-la.

        Qual era o seu nome antes de você ter um nome? Se uma árvore cai e ñinguém ouve, ela fez barulho?

        Uma sinfonia existe? Existe. Mas não ocupa lugar no espaço, correto. Perceba o problema estrutural: aceitar o que eu falo é crer no que é dito, mas essa é a diferença fundamental entre acreditar e saber.

        Saber demanda a experiência, sua ou de alguém. E isso é a experiência transcendente blahblahblahblah.

        c) Essa é a dificuldade em se compreender Shiva, o Destruidor. A destruição é necessária para um renascimento (já que vc gosta do mito da fênix). Muitas vezes envolve sofrimento e tristeza. Mas das cinzas da morte renascemos para algo melhor.

        O Impulso de Morte pode ser visto como a purificação pelo fogo para se renascer. MAS é necessário que a morte esteja a serviço da vida, pois a aniquilação do ego é meio para um fim, não um fim em si.

        “And you open the door and you step inside
        We’re inside our hearts
        Now imagine your pain as a white ball of healing light
        That’s right, your pain
        The pain itself is a white ball of healing light
        I don’t think so

        This is your life, good to the last drop
        And it doesn’t get any better than this
        This is your life and it’s ending one minute at a time

        This isn’t a seminar, this isn’t a weekend retreat
        Where you are now you can’t even imagine what the bottom will be like
        Only after disaster can we be resurrected
        It’s only after you’ve lost everything that you’re free to do anything
        Nothing is static, everything is appaling, everything is falling apart

        This is your life, this is your life, this is your life, this is your life
        Doesn’t get any better than this
        This is your life, this is your life, this is your life, this is your life
        And it and it’s ending one-minute at a time

        You are not a beautiful and unique snowflake
        You are the same decaying organic matter as everything else
        We are all part of the same compost heap
        We are the all singing, all dancing, crap of the world

        You are not your bank account
        You are not the clothes you wear
        You are not the contents of your wallet
        You are not your bowel cancer
        You are not your grande latte
        You are not the car you drive
        You are not your fucking khaki’s

        You have to give up, you have to give up
        You have to realize that someday you will die
        Until you know that, you are useless

        I say let me never be complete
        I say may I never be content
        I say deliver me from Swedish furniture
        I say deliver me from clever arts
        I say deliver me from clear skin and perfect teeth
        I say you have to give up
        I say evolve, and let the chips fall where they may

        This is your life, this is your life, this is your life, this is your life
        Doesn’t get any better than this
        This is your life, this is your life, this is your life, this is your life
        And it and it’s ending one-minute at a time

        You have to give up, you have to give up
        I want you to hit me as hard as you can
        I want you to hit me as hard as you can

        Welcome to Fight Club
        If this is your first night, you have to fight”

        Isso coloca a gente pra pensar: Pra quê serve a morte? Tudo tem uma razão de ser e uma razão de estar. Se morremos, algum motivo tem, para nós e para o mundo.

        Como podemos usar isso?

        “You told me that your 20 years have gone by much too fast
        And you’ve been hoping this year will be better than the last
        You said you’ve been waging a war against the loneliest of nights
        With the strongest drinks and longest lines, it’s not that big of a surprise
        That you’re feeling more dead than alive
        You’re feeling more dead than alive

        So I’ll let you know if you need
        Somewhere to go
        I’ll be listening when you call
        And I’ll be there if you fall off
        If you need someone to believe in you I’ll let you know I will

        You said the hole in your head has gotten bigger than the whole that’s in your chest
        And you’re stuck between the past and present tense
        Said you’ve been waging a war against so many years of lies
        With stronger drinks and longer lines, it’s not that big of a surprise
        That you’re feeling more dead than alive
        You’re feeling more dead than alive

        So I’ll let you know if you need
        Somewhere to go
        I’ll be listening when you call
        And I’ll be there if you fall off
        If you need someone to believe in you I’ll let you know I will

        But sometimes you’ve gotta let it go

        So this pen is starting to become
        A pipe bomb and these songs
        Have turned to anthems again
        To everything that’s changed and to everything that’s gone away
        Here are my condolences to the future I never met
        It’s gone and never coming back
        It’s never coming back
        So don’t hold onto your past
        You’ve gotta let it go

        ‘Cause friends leave as time fades away
        The people and the places along the way
        Without a doubt
        Screws fall in and screws they fall out

        Tomorrow’s gone up in smoke
        And I wonder when I’m alone
        Where did my convictions go?
        So to everyone that’s gone away
        Or fades away or stays the same
        Here are my apologies to the person that I used to be
        Before I burned down every bridge and every inch
        Of everything I used to know
        I gotta let it go

        Friends leave as time fades away
        The people and the places along the way
        So don’t hold onto your past
        No, it’s never coming back
        You’ve gotta let it go”

        Like

      • Nina says:

        i) “Essa coisa de “pensamos por meio de palavras” caiu por terra faz tempo.” Quem derrubou?? Onde? Como? Vc “pensa” como então? Pensar e adquirir conhecimento são coisas diferentes, só para constar.

        De resto, concordo, paro, penso. E nem vem me dizer que “não tem autoridade para mostrar as minhas vendas” porque vc faz isso o tempo todo e aposto que se diverte! ;-)

        Like

      • Nina says:

        Só para constar que o ponto aqui está com dificuldade de compreender o conceito da reta. :D
        Ou seja, ao meu ver luz era matéria, sem muita novidade aqui. Agora vc me confundiu!

        Eeee!

        =D

        Like

      • Anarcoplayba says:

        1) Isso foi um debate entre um prof comunista e um prof capitalista no CA. Professor comunista: “Porque sabemos que pensamos por meio de palavras, e o controle do pensamentos se dá por meio do controle cultural e…”

        Professor Capitalista (enfastiado): “Não, não, não… isso caiu por terra desde o início da década de 90: Se pensamos por meio de palavras, você está dizendo que bebês não pensam, o que é nitidamente uma falácia. Golfinhos pensam. Chimpanzés pensam. Cachorros e outros animais tbm tem formas rudimentares de pensamento.”

        De onde saiu essa conclusão (qual o filósofo-pesquisador) eu não sei, no entanto, me pareceu bem razoável: a Linguagem é uma função do pensamento, não o contrário.

        Outro elemento a corroborar isso são os avanços técnico científicos que precisaram de uma linguagem nova para ser formulados. Pense na matemática. Números negativos ou imaginários, por exemplo. Eles surgiram quando ainda n existia uma linguagem apta a expressar isso. A linguagem foi criada para expressar pensamentos, não o contrário.

        2) O ponto está com dificuldade de compreender a reta. Sim, é exatamente isso. Pense na “projeção de uma pirâmide (tridimensional) num plano (bidimensional): Ela pode ser um quadrado ou um triângulo pra quem está no plano, mas quem vê três dimensões vê que é uma pirâmide.

        É só uma dimensão a mais, que os elementos do plano são incapazes de analisar.

        However, não se preocupe com o que você não entende: concentre-se no que você SABE e atue com aquilo. Mais ou menos como nas artes marciais: O chute giratório vem depois do chute simples. O Chute pulando vem depois do giratório.

        Um passo de cada vez, little grasshopper.

        Quanto à luz, ela se comporta como partícula-onda. Ela é energia, mas pode se comportar como partícula. Sim, é um exemplo impreciso (e essa é a merda de não ser foda).

        Mas pense em outras formas de energia: Energia eletromagnética, calor ou até mesmo as forças de atração e repulsão. Elas existem, mas são imateriais.

        Tem um monte de coisa que émind boggling, honey: Gravidade, pra alguns, não é uma força, mas uma curvatura do espaço. O Espaço é curvo, consegue imaginar isso?

        Os cálculos das teorias das supercordas presumem que o espaço seja feito de dez dimensões. Dez. Consegue imaginar isso? Eu não.

        Então…

        Empty your mind. Be formless. Shapeless, like water. Now, you put water into a cup, it becomes the cup. You put water into a bottle, it becomes the bottle. You put water into a teapot, it becomes the teapot.
        Water can flow… or can crash. Be water, my friend, be water.

        Like

  • Karina says:

    “Aniquilar o Ego é impulso de morte”

    Isso vai ser desenvolvido? Parece que já é uma discussão. Podem abrir para nós?

    Like

    • Anarcoplayba says:

      Não é exatamente uma discussão… envolve algumas coisas que eu posso sim abrir no blog, mas que são bem menos interessantes e construtivas do que parece.

      E envolve tbm um projeto do Anarcoblog S.A. que deverá ser levado a cabo em poucas semanas.

      Like

  • “And you open the door and you step inside
    We’re inside our hearts
    Now imagine your pain as a white ball of healing light
    That’s right, your pain
    The pain itself is a white ball of healing light
    I don’t think so

    This is your life, good to the last drop
    And it doesn’t get any better than this
    This is your life and it’s ending one minute at a time

    This isn’t a seminar, this isn’t a weekend retreat
    Where you are now you can’t even imagine what the bottom will be like
    Only after disaster can we be resurrected
    It’s only after you’ve lost everything that you’re free to do anything
    Nothing is static, everything is appaling, everything is falling apart

    This is your life, this is your life, this is your life, this is your life
    Doesn’t get any better than this
    This is your life, this is your life, this is your life, this is your life
    And it and it’s ending one-minute at a time

    You are not a beautiful and unique snowflake
    You are the same decaying organic matter as everything else
    We are all part of the same compost heap
    We are the all singing, all dancing, crap of the world

    You are not your bank account
    You are not the clothes you wear
    You are not the contents of your wallet
    You are not your bowel cancer
    You are not your grande latte
    You are not the car you drive
    You are not your fucking khaki’s

    You have to give up, you have to give up
    You have to realize that someday you will die
    Until you know that, you are useless

    I say let me never be complete
    I say may I never be content
    I say deliver me from Swedish furniture
    I say deliver me from clever arts
    I say deliver me from clear skin and perfect teeth
    I say you have to give up
    I say evolve, and let the chips fall where they may

    This is your life, this is your life, this is your life, this is your life
    Doesn’t get any better than this
    This is your life, this is your life, this is your life, this is your life
    And it and it’s ending one-minute at a time

    You have to give up, you have to give up
    I want you to hit me as hard as you can
    I want you to hit me as hard as you can

    Welcome to Fight Club
    If this is your first night, you have to fight”

    Isso coloca a gente pra pensar: Pra quê serve a morte? Tudo tem uma razão de ser e uma razão de estar. Se morremos, algum motivo tem, para nós e para o mundo.

    Como podemos usar isso?

    “You told me that your 20 years have gone by much too fast
    And you’ve been hoping this year will be better than the last
    You said you’ve been waging a war against the loneliest of nights
    With the strongest drinks and longest lines, it’s not that big of a surprise
    That you’re feeling more dead than alive
    You’re feeling more dead than alive

    So I’ll let you know if you need
    Somewhere to go
    I’ll be listening when you call
    And I’ll be there if you fall off
    If you need someone to believe in you I’ll let you know I will

    You said the hole in your head has gotten bigger than the whole that’s in your chest
    And you’re stuck between the past and present tense
    Said you’ve been waging a war against so many years of lies
    With stronger drinks and longer lines, it’s not that big of a surprise
    That you’re feeling more dead than alive
    You’re feeling more dead than alive

    So I’ll let you know if you need
    Somewhere to go
    I’ll be listening when you call
    And I’ll be there if you fall off
    If you need someone to believe in you I’ll let you know I will

    But sometimes you’ve gotta let it go

    So this pen is starting to become
    A pipe bomb and these songs
    Have turned to anthems again
    To everything that’s changed and to everything that’s gone away
    Here are my condolences to the future I never met
    It’s gone and never coming back
    It’s never coming back
    So don’t hold onto your past
    You’ve gotta let it go

    ‘Cause friends leave as time fades away
    The people and the places along the way
    Without a doubt
    Screws fall in and screws they fall out

    Tomorrow’s gone up in smoke
    And I wonder when I’m alone
    Where did my convictions go?
    So to everyone that’s gone away
    Or fades away or stays the same
    Here are my apologies to the person that I used to be
    Before I burned down every bridge and every inch
    Of everything I used to know
    I gotta let it go

    Friends leave as time fades away
    The people and the places along the way
    So don’t hold onto your past
    No, it’s never coming back
    You’ve gotta let it go”

    Gostei!

    Like

    • Anarcoplayba says:

      Se não conseguiu achar as músicas me avisa que eu te mando.

      A Primeira é do Dust Brothers. Coloca Dust Brothers Fight Club no youtube que aparece fácil.

      A segunda é do Less Than Jake, se chama The Brightest Bub Has burned Out. Tem algumas versões no youtube, mas no grooveshark tem ela limpa.

      Like

  • Fy says:

    Pois é Lawyer, voce conseguiu falar sobre algo , no mínimo provocador.

    Eu pensei, pensei e acho que você está falando sobre uma captura.

    Talvez, em falta de palavras , eu possa chamar o pre-mental de nuance, quase um momento.

    Também acho grosseiro que seja apenas instinto. É mais. Sem ser ainda “elaborado”.

    Mas… requer uma extrema habilidade. Quase de caçador.

    Não é Tempo; porque não seria possível: estaríamos afetando esta nuance, alterando sua cor e perderíamos a possibilidade real. E, anularíamos o impulso, claro… Lawyer, você foi claro.

    Então…; – esta precisão, sem escorregar em Heisenberg, sem se guiar pela mútua reflexão do tempo : passado/presente – sem interromper um fluxo alterando o próximo…. > é a habilidade do Guerreiro em Castañeda, ou dos Fremen em Arrakis [ os piratas da areia] – é quase feitiço, é a captura de uma nuance e sua mutação em tempo, ou espaço. Espaço em que se “caminha” – dentro do “antes” em direção ao destino. Ah, só Guerreiros.

    Na linguagem de um “caçador” , embora nuance : and fast as a spark, ela se chama “a grande distância” :

    Veja se é isto:

    The greatest distance in the existence of man
    is not from here to there nor from there to here.

    Nay,

    the greatest distance in the existence of man
    is from his mind to his heart.
    Unless he conquers this distance he can never
    learn to soar like an eagle,
    and realize the immensity within.

    A maior distância na existência do homem
    Não é daqui pra lá ou de lá pra cá

    Não.

    A grande distância na existência do homem

    é entre sua mente e seu coração.

    Sem conquistar esta distância

    ele nunca poderá mergulhar como uma águia

    ou realizar a imensidão dentro de si.

    Bj

    Fy

    Like

    • Anarcoplayba says:

      Vamos usar as suas metáforas: Você usa uma flecha para caçar um cervo. O que é a caça: a flecha ou o cervo?

      Você usa o pré-mental para entender o mundo. O pré-mental é o conceito?

      Entendo que o pré-mental seja uma ferramenta. Uma ferramenta que todos nós temos. Pense numa espada nas mãos de um samurai. Pensou na espada? Esqueça, o pré-mental é o samurai.

      E é isso que eu quero que fique claro (e que vai gerar um segundo texto – Pré-Mental parte dois – Assim que o último post der uma amainada): é natural.

      De novo… são conceitos que eu ainda estou aprendendo, e apresentá-los para vocês, mesmo que nessa forma bruta, não lapidada e não acabada, me permite repensar bastante coisa…

      Like

  • Fy says:

    is not from here to there nor from there to here > it’s river between two rivers.

    Fy

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading Pré-Mental. at AnarcoBlog.

meta

%d bloggers like this: