Sabe aquele papo de: “Falar melhor o que eu queria dizer?”

December 7, 2010 § 25 Comments

Tá aqui:

http://www.deldebbio.com.br/index.php/2010/12/07/a-procura-do-eu/

A Procura do EU

deldebbio | 7 de dezembro de 2010

Este comentário foi tão pertinente que decidi transformá-lo em um post:

Que estranho jogo esse que nós vivemos…

Quer dizer que todos nós possuímos um EU, mas nós não sabemos o que é esse EU, que seria o verdadeiro sentido das nossas vidas.
E qual é a graça de nós não sabermos qual é o nosso EU? Digo, qual foi a intenção do mestre do jogo quando ele nos colocou debatendo aqui, sem orientação, quebrando a cara, etc, tipo, ele sente prazer nisso? Esse é o objetivo do jogo então, descobrir nosso EU? Onde você viu isso? As coisas poderiam ser mais simples, tipo, nós descobriríamos nossa vontade, e faríamos aí o que tem que ser feito. Por exemplo, se isso for verdade, e eu algum dia acreditar nisso, e morrer sem saber o meu EU, morreria muito frustrado.

DD velho, insisto que indique um livro. Recomendo que coloque na bibliografia.

Não espero que responda, já que você já respondeu a primeira. É só que, não sei se é só eu, mas isso me incomada muito, acho isso muito importante.

@MDD – Voce estaria partindo do principio que está começando agora e que nao fez nenhuma besteira nas suas 10-20 vidas anteriores… Não esquecemos nossa Verdadeira Vontade, esquecemos as ligações que temos com as pessoas ao nosso redor… se esse véu fosse levantado um dia apenas, metade do planeta iria se matar, no atual estágio de evolução… imagina que vc jah ferrou e foi ferrado por todo mundo da sua família… sabe aquele parente que vc odeia e nem sabe pq? tem um motivo… entao o esquecimento é necessário.

Já a Verdadeira Vontade é o que voce ama fazer… é único de cada pessoa, por isso não dá para ensinar ou mostrar. O povo melindra e acha que é algo grandioso, como salvar o mundo ou compor uma sinfonia, mas não é necessariamente isso. Pode ser algo pequeno, como cuidar de uma ONG, organizar sua família evangélica doida, ser professor, ser engenheiro, etc… só que o que acontece… quando vc encaixa nessa VV, tudo começa a “dar certo”. Todas as coincidências começam a acontecer… tudo vai convergindo para o processo funcionar, e a coisa vira uma bola de neve. quem acompanha o blog do TdC desde o início sabe onde estávamos 3 anos atrás e o que já fizemos hj, e a coisa fica maior a cada mês. Essa é a MINHA vontade… a de vocês é outra. Eu não posso dar receitas pra voces pq voces nao tem as minhas habilidades e nem eu tenho a de voces… vocês serão ótimos advogados, veterinários, médicos, engenheiros, músicos, pintores ou o que quer que vcs amem fazer… o Mapa Astral dá as pistas, porque ele é a configuração energética do momento em que vocês, como pensamentos encarnados, penetraram neste mundo material (por isso é tão fácil olhar mapas de gente “famosa” ou “importante”… funciona no reverso; eles são famosos JUSTAMENTE porque fizeram o que deveriam fazer… não “destino” nem nada dessa besteiradas, mas o que ELES escolheram fazer ANTES de embarcar aqui).

As coisas não são simples… elas são simples pro seu cachorro ou gato; são simples praquele mundo de gente que acorda, vai zumbi pro trabalho, chega em casa, assiste novela, dorme, acorda, trabalha mais pra juntar dinheiro pra comprar um novo celular que não precisa, depois trabalha mais em um emprego que nao gosta por uns 20 anos, pra se aposentar sem ter tempo de cuidar dos filhos e viver sua pensãozinha. Ai sim é “simples”. a TV fala tudo o que voce precisa ter e consumir, e seu patrão/pastor/padre/artista de TV fala tudo o que voce precisa fazer.

Daí o Ocultismo se comunica por meio de símbolos. Símbolos são muito mais poderosos que palavras, representam idéias, conceitos muito maiores do que meras descrições. E através do conhecimento destes símbolos (sejam deuses, monstros, heróis, histórias, marcas, etc…) você consegue trabalhar o seu interior para saber quem você é e o que sabe fazer direito. Daí a frase “Conhece a ti mesmo e conhecerás todo o Universo”. E pelos símbolos chegamos à Magia, que é trazer ao mundo imagens (Imago), ou seja, desenvolver a imaginação a ponto dela ser capaz de materializar-se no mundo material.
E, com símbolos, não há bibliografia, há imagens. Qualquer livro que eu recomende será a visão DAQUELE AUTOR sobre o tema… e mesmo imagens podem ser deturpadas (vide a swastica), ai a pessoa precisa estudar o que está atrás daquele símbolo. O que aquele Deus representa? pra que serve aquele arcano do tarot? o que significa aquele diagrama engraçado na forma de Árvore? e mesmo os símbolos que valem pra mim podem não valer pra outras pessoas… cada um chegará até onde o seu nível intelectual e evolutivo permitir; o truque é que agora a informação está ai… basta saber procurar e estudar.

Eu descobri qual é a MINHA vontade; e cada vez que eu realizo alguma coisa neste caminho, descubro que consigo elevar isso pra um patamar maior, mediante mais trabalho… ainda não tenho idéia da onde dá pra chegar… só que não soou guru nem mestre de ninguém: no máximo, posso tentar indicar as portas, mas quem vai ter de ser o Mestre de cada um de vocês é cada um de vocês, e só.

 

Advertisements

§ 25 Responses to Sabe aquele papo de: “Falar melhor o que eu queria dizer?”

  • Petite poupée says:

    Legal!
    Não é engraçado, Anarco? a humanidade sempre buscou um “oráculo” que abreviasse o caminho…q pulasse etapas( geralmente de dor e sofrimento)para chegar, enfim, à vitória no final. Cara, e os oráculos sempre flertaram com o poder…
    Eu fico pensando q realmente seria muito bom, mas qual o mérito da jornada?
    No fundo, a gente sempre sabe o que é certo ou errado na parada, como fugir da consciência? Cinco minutos de conhecimento e a porra do sinal bate, é foda!
    É claro q a gente tem sempre a opção do dane-se, mas pra tudo há uma maldita consequência! E pra cada chance perdida há uma oportunidade q não volta e quase sempre é a melhor oportunidade, é foda!
    Mas se nós não podemos como voltar ao passado e reescrever nossa história, temos como mudar o final do futuro. Isso me alegra!

    Escolhas…

    E como sempre digo, se fosse fácil, não seria tão divertido…
    Me sinto forte em várias coisas, e fraca numa porrada delas, mas tem uma coisa: nunca me sinto sozinha.
    O legal é q qd tenho mais medo sempre encontro as pessoas certas. Puro feeling…

    Isto não só me alegra, me conforta.

    Estamos juntos!

    Like

  • Karina says:

    Petite, quem garante que a oportunidade não vivida teria sido a melhor oportunidade?

    Anarco, e se a verdadeira vontade do cara for viver como um zumbi? Se, por essa teoria, todos escolhemos o que fazer das nossas vidas antes de cair neste mundo… o cara que escolheu ser um vagabundo não há de se sentir desconfortável nessa condição, certo? possivelmente ele estaria insatisfeito se fosse um homem de negócios ou um professor. o que quer que fosse, que não vagabundo. É isso? Então pq depreciar “aquele mundo de gente que acorda, vai zumbi pro trabalho, chega em casa, assiste novela, dorme, acorda…” se essa “acomodação” for tão escolha quanto a escolha de qualquer outra pessoa?

    Estou dizendo SE FOR. Pq se o lance for só a realização da sua “verdadeira vontade”…

    Like

    • Anarcoplayba says:

      Então… você está partindo do princípio que pessoas escolhem (dentro de um aspecto filosófico e religioso) serem omissas.

      Partindo do pressuposto que a Vida possui uma Razão de Ser e Estar, e partindo do pressuposto que essa razão é causar mudança nos nossos Eus (porque se não for, não há razão para a vida, correto?), não faz sentido que a escolha de alguém seja não fazer nada.

      Ou seja: ser um “vagabundo” (prefiro o termo omisso) seria ilógico, partindo desses pressupostos que eu disse.

      Vale a máxima: seja quente, seja frio, mas não seja morno que eu te vomito.

      Like

      • Karina says:

        mas aí é que está, não faz sentido para mim. faz sentido para eles? ou… faz sentido para a ordem maior? sei lá, estou só embarcando na onda proposta.

        essa escolha seria feita antes de todas as vidas ou a cada jornada? e quando a “missão” estaria cumprida?

        Like

      • Anarcoplayba says:

        Então, agora as coisas começam a ficar mais complexas…

        A pergunta é: Existe Certo e Errado? Ou melhor: Válido e Inválido?

        Podemos falar que certo e errado n existe, ok, mas vamos admitir que você se propôs a ir no churrasco de aniversário dos seus amigos. Domingo. Tremendo sol, todo mundo bebendo, conversando, se divertindo… E você aparece com a bíblia debaixo do braço e começa a pregar? Ou começa a cheirar cocaína na casa de um amigo crente? Ou vai de biquíni para o trabalho?

        Acho que, conquanto não exista certo ou errado, existe válido e inválido, tomando-se por base uma proposição.

        Ou seja: Admitindo-se que o objetivo desta vida seja melhorar e se aperfeiçoar, e que a função dela seja permitir isso, ser omisso é válido?

        E mais: será que essas pessoas que “desencanaram” não vão olhar para trás e pensar “putaquepariu… eu vim fantasiado de Conan o Bárbaro numa festa de casamento!”

        Se faz sentido pra ordem maior? Existe essa Ordem Maior? Ela precisa existir? I mean: quer você acredite ou não, não faz sentido? Não é lógico? Não faz Razão?

        Então é isso: Não se trata de uma questão de elocubrar o insondável… é meramente: Se a Vida existe (e ela existe) ela tem uma função no Universo ou em Si Mesma.

        Essa função não pode ser se omitir, pois a omissão nada gera, e a existência de algo para nada realizar é inútil, coisa que a natureza ojeriza.

        Quanto ao resto, não faço a mínima idéia. Creio que é por etapas, e acredito que o final seja a iluminação.

        Mas posso estar errado.

        Like

      • Karina says:

        Já estou me acostumando a sentir algumas vertigens nessas viagens, vamos lá…

        Voltando ao certo e errado… agora captei o que (acho que) a Nina quis dizer qd falou em “necessidade cósmica” no outro post. Eu preferi me deter ao aspecto do indivíduo, o que acho que tem a ver com o lance da vida em função de si mesma. Daí ter dito que certo é o que condiz com meus ditames de consciência. É o que tenho de mais concreto e o que sinto. E daí questionar se o mundo precisa realmente de alguma coisa. Se precisa, teria a ver com a função da vida no universo.
        Eu me inclino para a primeira crença, não para esta última. Mas, como vc falou, tb acho que uma e outra se confundem.

        E faz sentido pensar que a omissão não faça sentido. Sob esta maneira de pensar, faz. Mas qd o MDD fala em escolhas prévias é que confunde o meio de campo. Aí eu é que pediria para ele dizer onde foi revelado que a escolha é sempre por algo “nobre”. Se é escolha… sei lá. não bate muito.

        Esse negócio de podermos estar errados é uma bela redenção. no final das contas, é tudo uma grande masturbação mental. Até que se manifestem os querubins.

        Like

      • Anonymous says:

        Tudo é uma masturbação mental até o momento que cessamos o racional e integramos o sentir. Agora, se os querubins aparecem, isso eu não garanto, rsrsrs..

        Sua Vontade Verdadeira não está dissociada do mundo, dos outros, porque você faz parte disso, e o mundo é fruto das suas ações sobre ele. E isso obviamente voltará para você. Nossa individualidade está para o mundo assim como a gota está para o oceano.

        Like

      • Nina says:

        Ops! O anonimo sou eu! rsrsrs

        Like

      • Anarcoplayba says:

        Mas essa é a diferença entre o Anarco e o Anarcoblog e o Del Debbio e o Teoria da Conspiração: Ele tem uma proposta editorial. Ele fala sobre ocultismo para iniciantes em ocultismo.

        Como ele mesmo disse, quando ele vai no Superpop, 400k pessoas assistem, quando ele escreve no Sedentário, 200k pessoas lêem; quando ele escreve no blog dele, 100k lêem; quando ele dá os cursos, 50 pessoas vão; dessas 50, 10 procuram uma escola Iniciática.

        Ele está falando com e para pessoas que sabem que isso é verdade. Ele não quer convencer os outros. Se você pedisse para ele mostrar, não sei qual seria a resposta dele: talvez te ignorasse, não sei.

        Eu escrevo sobre o que gosto. De sexo e putaria à religião e filosofia, com certa frequência misturando ambas.

        Meu objetivo, por razão, é mostrar que há uma lógica. Que faz um sentido.

        Partindo do pressuposto de que existe algo após a morte, significa que há algo antes do nascimento, pois a Vida não é meramente uma função orgânica. Como eu posso te provar isso? Por meio da experiência transcendente e da boa vontade em se permitir sentir sem preconceitos.

        Partindo do pressuposto que isso é um fato (pressuposto esse decorrente da experiência), as escolhas existem. Não necessariamente escolhas lógico-racionais, pois existem outras razões que a própria razão desconhece (Qual a sua cor favorita? Por quê?)

        Você diz que a possibilidade do erro é uma redenção, pois nos salva por meio da masturbação mental.

        O que eu te digo é que essa frase é meu lado Del Debbio: Eu não tenho que convencer os outros do que creio. Eu tenho que manifestar aquilo no que acredito. Se eu estou certo ou não, será eu comigo mesmo. Não tenho a pretensão de convencer ninguém, apenas de expor minha razão.

        Posso estar errado. Mas não acho que esteja. Não posso provar, mas posso pagar pra ver.

        De mais a mais, masturbação mental também gera orgasmo.

        E o Anônimo está correto: tudo que não manifestamos é masturbação mental, e nossa vontade não está dissociada do universo, pois nós somos parte do universo, e tudo o que está em cima é como tudo o que está embaixo.

        Like

      • Karina says:

        Meu querubins são o sentir, Nina.

        Anarco, sei que o objetivo aqui n é convencer. Mas se estamos buscando a lógica possível do abstrato, se ele e vc se dispõem a expor o irracional por meio da razão, sempre há a possibilidade de se questionar. Eu disse o que vejo de incoerente na teoria dele. Talvez seja fruto do meu desconhecimento/ignorância sensorial, pode ser. Mas não vejo pq devam existir outras condições, do tipo seguir determinada doutrina/corrente de pensamento/associação, para sentir. Enfim…

        Like

      • Anarcoplayba says:

        Não existem, Ká. É mais uma questão de modular a forma como se fala.

        Ele está acostumado a usar um léxico cogente e amplamente conhecido pelo público dele. Ele pode falar em Thelema, Verdadeira Vontade, SAG, etc., da mesma forma que um médico pode falar em TB, ATB, C5, etc.

        Não há necessidade de afiliação/pensamento para sentir: é como tocar um instrumento: normalmente precisamos de aulas e treino, mas tem gente que é virtuose (como Beethoven e Justin Bieber, por exemplo – Comic Relief).

        A proposta dele é uma, a minha é outra. Ele se propõe a falar para pessoas que falam essa língua. Eu me proponho a falar.

        Like

  • Petite Poupée says:

    Quem garante que a oportunidade não vivida teria sido a melhor oportunidade, Ka?

    Ninguém!

    Mas o que determina minhas escolhas quando a oportunidade pinta é fácil: meu AMADURECIMENTO ESPIRITUAL. Isso é caminho. Isso é jornada. Isso é evolução. Isso é ESFORÇO.

    Note: Somos seres da natureza, certo? A natureza evolui, certo? Evoluir é natural, certo? Então! ETAPAS.

    Anarco sempre fala uma coisa bem legal: “Lição aprendida, passinho a diante” (algo do gênero rss) Concordo.

    O homem é o único ser da natureza capaz de concatenar ideias, vontade e sentimento. Ka, a gente tem que ser minimamente diferente da ameba que só reage aos estímulos do meio circundante, né?

    Tem uma palavra q vc usa sempre e eu retomo: RESPONSABILIDADE. Escolher é assumir responsabilidades. Assumir responsabilidades é gerenciar conflitos. E ser bem-vinda ao mundo adulto!

    Ps. Vamos fazer um mix de tudo que já foi dito aqui nos vários comments e bater com sorvete de creme e finalizar com calda de chocolate. Vai cair bem pra caramba! Bjos.

    Ps.2 Gueixa?

    Like

    • Karina says:

      humrum, Petite. Minha pergunta n foi em cima da escolha realizada, foi sobre a afirmação do não-vivido (“pra cada chance perdida há uma oportunidade q não volta e quase sempre é a melhor oportunidade”). Ninguém garante que a outra opção seria melhor. Ninguém garante que não seria. Como o que há de certo é o caminho trilhado pela alternativa escolhida… vamos seguir adiante. foi isso.

      Like

      • Petite Poupée says:

        Ka, vc me fez lembrar da corrida dos ratos. Um conceito q ñ deve ser novidade pra vc, mas essa música eu tenho certeza q é

        rss

        Like

      • Karina says:

        É isso aí, Petite…. e, veja só, não satisfeitos em ver os ratinhos correndo para lugar algum, logo providenciamos nossas esteiras. Particularmente, prefiro corrida na praia ; )

        Like

      • Petite Poupée says:

        Eu também, Ka! Pena que nossa praia seja diferente. Mas quem sabe um dia a gente marca um trote na Lagoa? Em janeiro estou de férias…

        Pra vc:

        Ps. O cara postou o nome da música errado, não é A Hora da Estrela. É A Hora deserta, mas eu gostei. Eu adoro a Macabeia…

        Bjos.

        Like

      • Karina says:

        boa sugestão, Petite, Lagoa é tudibom. vamos nos falar!
        (o vídeo fica pra depois, aqui n abre)

        Like

  • Seria interessante nos perguntarmos sobre a verdadeira vontade da mulher que não tem opção a não ser limpar banheiro ou se prostituir. Mas é só algo que me ocorreu agora…

    Like

  • […] Comments Vinicius Marquez on Sabe aquele papo de: “Fa…Mr. Kronos, Welcome … on We Will Rocky You!Anarcoplayba on Como Comer a […]

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading Sabe aquele papo de: “Falar melhor o que eu queria dizer?” at AnarcoBlog.

meta

%d bloggers like this: