O Véu.

February 6, 2011 § 4 Comments

Sabe, eu disse que eu ia postar quando saísse o resultado do vestibular. Era essa a idéia.

Mas tinha uma coisa que eu queria MUITO compartilhar com vocês.

Andei discutindo com algumas pessoas sobre os véus e as burcas, sobre a opressão feminina no oriente, no ocidente, e no oriente médio… Também debati um pouco sobre as coisas que estão acontecendo no Egito, na Tunísia, etc…

Eu queria muito falar várias coisas, mas só uma me passa pela cabeça:

Véus não oprimem ninguém. Podem ser uma ótima desculpa para quem quer ser oprimido, mas não oprimem ninguém.

Por que eu digo isso?

Por isso:

Advertisements

§ 4 Responses to O Véu.

  • Nina says:

    (diálogo interno ON)

    Para. Pensa. Observa.
    Onde está a repressão então? Em forma de dogmas religiosos, morais ou machistas?
    A gente admira pessoas que tem coragem de demonstrar o que são, no que acreditam. E quando surge a oportunidade para nós fazermos o mesmo, nos escondemos.

    A repressão está nessas grades invisíveis, que tanto alimentamos. Não só as nossas, mas as dos outros também.

    Quantos de nós marchariam com ela?

    Para. Pensa. Observa.

    Like

  • Lívia Ludovico says:

    No seu melhor estilo maldito! E quando vc se destina a ser…vc é.

    Like

  • Karina says:

    O véu em si n oprime, claro. Quando usado por opção individual, como tudo, é um objeto de liberdade. Mas n vejo nessa insurreição um exemplo de que as mulheres supostamente oprimidas, quando querem, têm condições o bastante para agir. Ela fala em “união”, “família”, “povo egípcio”, e isso vai ao encontro do que andei lendo a respeito da numerosa participação feminina nos atos. Ao que parece, o que está havendo lá é uma conveniente convergência de interesses. Isso não tira o mérito delas, de maneira alguma. Mas agora parece que há espaço para que elas se manifestem tb, ou seja, o terreno está livre. Não está havendo exatamente uma revolução dupla, pq revolução consentida n é revolução. No entanto, é inevitável que, se algumas ou muitas delas duvidavam do seu potencial de ação, terão nessa experiência um belo combustível para se fazerem bem mais presentes e fortes daqui pra frente.
    Ideais de liberdade revelam um certo cinismo, quando restritos.

    Like

  • Anonymous says:

    Muito corajosa.

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading O Véu. at AnarcoBlog.

meta

%d bloggers like this: