A Cervejinha do Guarda.

November 22, 2014 § 1 Comment

Um Cisne Negro é um evento altamente improvável, não previsível, altamente impactante e que, após seu surgimento, torna-se facilmente explicável.

Durante o lançamento dos livros da Série Harry Potter, a autora J. K. Rowling, sozinha, vendeu mais livros que todos os demais autores da Europa. Ninguém imaginava isso, mas aconteceu.

A desproporção entre o impacto dos eventos e o número de players não é inédito. Paretto afirmava que 20% dos atores são responsáveis por 80% dos atos. Na internet essa proporção foi repaginada: 1% cria, 9% edita, 90% copia.

Ou seja, nossa vida é mais influenciada pela exceção do que pela regra.

E, apesar disso, ainda vem gente falar que o problema do Brasil é a “cervejinha do guarda”. Meus queridos, você pode dar um Blue Label pro marronzinho da sua rua. Você nunca vai causar tanto estrago quanto UM lobbysta de uma indústria farmacêutica que elegeu um hipotético deputado de um partido fictício que apresentou um projeto de Lei inexistente pra influenciar em uma ação judicial na qual eu não trabalhei em uma inventada cidade de São Paulo referente a um remédio que talvez não exista e cuja embalagem possa ter sido imitada.

Ou, sendo bem direto: falar da cervejinha do guarda é cortina de fumaça pra esconder os grandes players, e, se você acha que o problema do Brasil é a cervejinha do guarda, ou você é um inocente útil, ou você trabalha pro lobbysta.

§ One Response to A Cervejinha do Guarda.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading A Cervejinha do Guarda. at AnarcoBlog.

meta

%d bloggers like this: