Soneto do Saturnismo.

April 20, 2016 § Leave a comment

Cicatrizes são medalhas de batalha
E são honras tão pesadas quanto mundo
Mas cada corte é a lembrança de uma falha
E cada falha é tão pesada quanto o chumbo.

Sim, a pele cicatriza todo corte
Inclusive os velhos talhos, tão profundos.
Mas se a dor logo passa num segundo
Cicatrizes são um peso e um acúmulo.

Não se morre das mazelas superadas
Mas se morre muitas vezes por descuido.
E a dor, que quando chove, me acomete

É a desculpa tão perfeita quando a culpo
Pois a dor que a cada falha se repete
Leva os ossos e a carne para o túmulo.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading Soneto do Saturnismo. at AnarcoBlog.

meta

%d bloggers like this: