One Punch Man.

August 31, 2016 § Leave a comment

Dois fucking dias antes do meu aniversário e tudo que eu tenho a falar é sobre um fucking Mangá.

***

One Punch Man é uma homenagem ao anticlimax. É um Mangá/Anime sobre um herói que consegue derrotar todos os inimigos com apenas um soco.

Pense em todos os mangás e animês até agora criados. Pense em todas as horas de sofrimento que o protagonista passa para conseguir vencer um inimigo claramente superior.

OPM é o contrário.

Com um soco ele vaporiza os inimigos durante o discurso de ameaça deles. E logo em seguida fica puto porque esperava que aquela luta representasse ALGUM desafio.

Saitama (identidade do OPM) é um ex “salary man” (termo usado em japonês para indicar o trabalhador de colarinho branco em funções de pouco prestígio nas empresas) que decide, em virtude do tédio, virar “super-hero for a hobby”. Sua pretensão com isso é preencher o vazio de sua vida com a adrenalina do desafio.

Dedicando-se a treinar durante três anos (fazendo 100 flexões, 100 agachamentos, 100 barras e correndo 10 quilômetros todos os dias) Saitama alcançou o nível de poder capaz de esmigalhar um meteoro com um soco. Wait. Wut? Sim, isso mesmo.

Depois de derrotar um monstro com um tapa, um ciborgue pede para ser seu discípulo. Relutantemente (por acreditar que não tem nada a ensinar) ele aceita. E descobre que para ser um super-herói ele precisa se filiar ao Sindicato dos Super-Heróis, ou será considerado apenas um louco.

Ele se filia e descobre que seu discípulo ciborgue está ganhando muito mais notoriedade especialmente por ser… bonito.

Em suas tentativas de subir em classificação de herói Saitama enfrenta heróis mais antigos que decidem sabotá-lo fazendo bad publicity dele para o povo.

OPM acaba trabalhando a vertente do humor nonsense em todos os episódios: No fim trata-se da história de um herói que resolve tudo sem emoção alguma.

***

One Punch Man é um Mangá sobre um herói depressivo.

Um herói que era um white collar worker, sem razões para viver uma vida sem emoção, que não sentia prazer em nada, e que decidiu ser herói por hobby no tempo livre. Não estranhamente, ele se tornou melhor no hobby que no trabalho sem sentido que fazia mas, ainda assim, não encontrou qualquer prazer em nada.

Sua vida é sem desafios e mesmo o que pode parecer um grande risco se mostra apenas mais um dia. E a expressão bland and blank dele mostra isso.

Não bastasse isso, para ser reconhecido em seu hobby, ele precisa da aprovação de seus pares. Sem a aprovação do sindicato, liga, federação, whatever, não interessa o quão forte ele é: ele não existe.

E não basta fazer bem o trabalho: sem o famigerado “marketing pessoal” e o “networking” é muito mais difícil obter o sucesso.

***

One Punch Man é uma história tristemente parecida com a realidade: uma vida sem sentido num emprego fungível que só ganha cores aos finais de semana. Uma vida na qual sem o reconhecimento de um grupinho você não é parte da “comunidade”. Uma vida na qual o marketing pessoal cria Bel Pesces da vida enquanto empreendedores desembolsam economias da vida num negócio que, às vezes, falha.

Um dos meus maiores problemas é superanalizar coisas bobas. E eu fiz isso de novo.

Mas que faz sentido… isso faz.

 

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading One Punch Man. at AnarcoBlog.

meta

%d bloggers like this: