Soneto da Abissofobia.

February 2, 2017 § Leave a comment

Contemplando o Abismo antevejo
O vazio convidando pra bailar
Mãos geladas em profundo desespero
Danço a dança de uma pena com o ar.

Por mais breve que eu preveja tal romance
Ele dura até o voo acabar
É um voo em linha reta para o fundo
É um voo p’ra na sombra aterrizar.

Fosse um poço esperaria água ao fundo
Fosse um túnel uma luz para guiar
Preferível da certeza o desagrado

Ao terror dessa incerteza suportar.
O abismo não anuncia resultado
E cada escolha é um abismo a cortejar.

Where Am I?

You are currently browsing the O Livro dos Medos category at AnarcoBlog.